Pular para o conteúdo principal

Conversando sobre Jogos Vorazes

Olá queridos leitores
hoje eu não pretendo escrever exatamente uma resenha, até porque quase todo mundo já leu, ou já assistiu ou já ouviu falar de Jogos Vorazes, então eu venho apenas levantar alguns dos pontos mais importantes desse livro. Ele é o item 18- uma distopia- do Desafio Literário Crônica Sem Eira.
TAPA NA CARA, é isso o que essa leitura vai fazer com você, seja para te deixar chocado ou para te acordar, talvez os dois, na verdade um complementa o outro. Você se vê revoltada com a realidade que os moradores dos distritos tem de passar. A fome que assola a sociedade, que mata lenta e dolorosamente, ou mesmo a injustiça e a violência que matam rapidamente, não importa, um ou o outro aprisionam e escravizam, amarram os distritos à Capital. E você se vê sentindo uma raiva cada vez maior, os habitantes estão imersos no entretenimento e em suas aparência, e assim o governo faz tudo parecer normal, natural, um favor, como se eles protegessem e estimassem o bem de toda a Panem (nação localizado na América do Norte, em um mundo pós-apocalíptico).


Descobri em um vídeo do canal Chiclete Violeta, e depois em uma breve pesquisa, que Panem vem de  uma expressão latina que quer dizer pão e circo, uma prática romana que consistia em dar comida e diversão para diminuir a insatisfação da população.
É exatamente assim que acontece, apesar de toda a podridão e a situação deplorável o governo consegue distrair as pessoas, uma das formas de entretenimento são os Jogos Vorazes, o que é um absurdo já que os Jogos é um verdadeiro banho de sangue primitivo e desenfreado entre crianças e adolescentes que são patrocinados para matarem uns aos outros. E todos devem assistir.



Neste primeiro livro nós podemos identificar além dos outros fatores um leve romance, mas não se enganem, aqui tudo é mais real, é palpável, inicialmente tudo gira em torno da sobrevivência da protagonista Katniss e de todos que ela ama, então não temos espaço para um romance ao qual você está acostumado.
Por falar em Katniss eu devo dizer que ela é a personagem mais real que eu já li na minha vida, ela vai te surpreender e te dizer a verdade sem rodeios e floreios, ela é corajosa, inteligente e esperta, mas é a humanidade dela que mais me cativou, a esperteza e as habilidades dela nascem a partir das limitações e dos erros e isso é ainda mais admirável.
A escrita de Suzanne Collins é muito gostosa, é como estar dentro da cabeça de Katniss ou simplesmente conversando com ela, assim a leitura se desenvolve facilmente, você consegue ler o livro em um único dia.
Para quem não leu ainda eu recomendo uma boa preparação emocional para amortecer o impacto da queda brusca que esse livro vai te proporcionar, e o que é mais importante ainda é uma boa reflexão, afinal The Hunger Games não fala de uma sociedade muito diferente da nossa...
Esses foram os pontos mais "cativantes" e fizeram com que essa trilogia se tornasse uma das mais importantes, depois dessa densa leitura eu provavelmente irei me dedicar muito mais a distopias.
Se você já leu The Hunger Games me conta aqui nos comentários o que mais te chamou a atenção e o que você acha sobre todas as discussões levantadas nos livros.
Espero que tenham gostado, um beijo e até nosso próximo papo literário.


Comentários

  1. Nossa, de fato esse formato deu uma outra cara ao objeto.
    Isso de conversar sobre o livro no lugar de resenhar ele me deixou com mais vontade de ler, deu uma cara de conversa informal com uma amiga que sentada com você no sofá te indica a última leitura que tanto gostou...
    Como previu eu também já tinha ouvido falar sobre o livro e filme, apesar de ainda não ter tido a oportunidade de ler é uma história que me instiga. Cheguei a assistir um pedaço do filme mas como só vi na metade e não gosto de assistir filmes incompletos logo desliguei a tv.
    Depois desse post claro que pretendo ler antes de assistir ao filme. ;D

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Dri, vou experimentar mais vezes esse formato e tentar aprimorá-lo
    Eu tenho quase certeza de que você vai gostar muito desses livros, ai depois acho que também iria gostar dos filmes.
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma curiosidade sobre o jornalismo: mascote

Olá queridos leitores,
hoje eu vim aqui trazer para vocês uma curiosidade do jornalismo. É algo que eu descobri recentemente, achei interessante, e vim compartilhar.
Você sabe qual é o mascote que representa o seu curso? Ou o símbolo dele? Não? Não acha que seja algo relevante?
Pois saiba que na sua formatura, o(a) organizador(a) do evento terá a obrigação de saber para inserir na cerimônia, além disso o mascote ou o símbolo pode ter uma grande carga moral e ética que resume bem a sua futura profissão ou o perfil adequado, e lhe servirá de guia em sua jornada. Como exemplo eu trouxe os símbolos ou mascotes do jornalismo:
Foca: a foca é destinada a representar os recém formados (novatos) ou que estão prestes a entrar no curso, representa aqueles com pouco ou nenhuma experiência, a foca é considerada um animal curioso e observa tudo ao redor, pois é algo novo para ele, além disso ela demonstra determinação. Há aqueles jornalistas que não gostam muito dessa representatividade.



Raposa: ah…

Como transformar seu dia

Ela acorda pela manhã às 6:00, não dá tempo de colocar aqueles 5 minutos a mais no despertador, é preciso correr e se arrumar, mal da tempo de assimilar as coisas ao seu redor, ou de espantar o sono. Nessa fração de segundo, entre chutar o edredom e pisar na cerâmica gelada, o pensamento de desistir do seu dia assola sua mente, será que se faltasse do serviço só por hoje seria demitida? Por que ela não podia se permitir ser mais irresponsável? Tão rápido quanto veio o pensamento se dissipa, onde já se viu? A dificuldade 2x pior na vida de outras pessoas, os planos para o futuro, aqueles que dependem dela e até o mimo no fim do mês são desculpas suficiente para seguir em frente.
Seu dia começou.
Novamente.
Mais doses daquela rotina construída.
Seu dia tem tudo para ser como todos os outros.
Ela entra no metrô, abre um livro e se perde na rotina de outra pessoa, cavalga suavemente nas palavras que descrevem uma vida que não é sua. O fato de estar em pé e ter que ficar com o braço levan…

Playletras da superação

Olá queridos leitores. Já fazia um tempão que eu não fazia Playletras né? Para compensar eu trouxe uma lista com um propósito nobre. No playletras de hoje eu quero pedir que você baixe essas músicas, pode ser no celular ou no computador, de preferência quando estiver sozinho, escute em volume alto e preste atenção na letra. Deixe sua mente vagar pela mensagem porque as canções de hoje foram feitas e selecionada para ajudar você a superar, seja um término, seja pessoas ruins na sua vida, escolhas ruins ou erros que você não consegue deixar para traz, essas bandas de rock querem te incentivar a seguir em frente, então aperte o play and move on!
1° Pitty- Serpente A baiana Pitty é aquela melhor amiga que te manda a real! Ela vai te dizer o que você precisa escutar não o que você quer. Recentemente ela passou por uma fase bem difícil mas transformou essas experiências em um álbum de superação, a melodia é cheia de instrumentos diferentes que nos embalam em uma leve alegria e ainda remete…